fbpx

Contaminação dentro de casa. Os 10 lugares mais “perigosos”

  • 2016 jul 27

Quando falamos de bactérias pensamos apenas nas infecções e doenças que elas podem causar. Mas você sabia que as bactérias são necessárias para o funcionamento do nosso corpo e sistema imunológico?

Contamos com milhões de bactérias que ajudam a manter o equilíbrio do nosso organismo, beneficiando a nossa saúde.  Elas são responsáveis por digerir os alimentos, estão presentes na nossa pele e na nossa boca.

Mas além do nosso organismo, onde desempenham um papel importante e benéfico, as bactérias estão em toda parte da nossa casa. Dispomos de “verdadeiros paraísos” para fungos e bactérias dentro de casa, propiciando assim, a transmissão de doenças.

A pia da cozinha, panos de prato, toalhas úmidas, maçanetas são alguns exemplos de locais e utensílios que devemos tomar maior cuidado.

Um estudo feito pela Fundação de Pesquisa para Saúde e Segurança Social (FESS) em parceria com a Universidade de Barcelona, para a empresa de limpeza Sanytol, apontou o banheiro como o cômodo mais cheio de germes.

Mas também é o local que se limpa com mais frequência, portanto oferece menos riscos do que alguns outros locais que passam despercebidos no nosso dia a dia, mas que acumulam sujeiras e representam até um risco maior.

Veja os locais que podem colocar em risco a saúde de toda sua família:

Banheiro. Conforme já falamos, ele está em primeiro lugar na lista de locais preferidos pelas bactérias.

Panos e esponjas de cozinha. A esponja úmida é propícia para a proliferação de bactérias. Panos e esponjas não são lavados diariamente, ficando úmidos, colaborando para a multiplicação dos germes, que podem permanecer alí por duas semanas.

Pia. A pia da cozinha é a grande vilã, concentrando 100 mil vezes mais germes do que o banheiro limpo.

Torneiras, geladeiras, máquinas de lavar. A umidade e o material orgânico que fica nestas áreas criam um ambiente favorável para as bactérias.

Escovas de dente. Centenas de micro-organismos presentes na boca podem ser transferidos para a escova de dente, e podem ser prejudicial à saúde. Bactérias fecais também podem se alojar nas escovas sem capa, mantidas próximas de vasos sanitários.

Chão. Muitos micro-organismos concentrados no chão da nossa casa, trazemos da rua, com nossos sapatos. Portanto, caso algum pedaço de comida caia no chão e você, naquele impulso, pega de volta e pensa em comer, não coma! Jogue direto no lixo. As bactérias são rápidas e precisam de apenas 10 segundos para “atacar” um pedaço de alimento que cai no chão.

Tábuas de cortar alimentos. Para evitar a proliferação de bactérias desinfete-as com frequência.

Dispositivos tecnológicos. Telefones, telas de celular, controles remotos, teclado de computador estão em constante contato com nossas mãos. Como não desinfetamos nossas mãos corretamente, espalhamos germes e bactérias por todos esses objetos. Um banheiro limpo tem menos micro-organismos do que uma tela de celular, que pode chegar a ter 30 vezes mais.

Maçanetas. Na limpeza diária é comum esquecermos de limpá-las. Mas especialistas afirmam que as maçanetas têm uma participação importante na transmissão de vírus como o da gripe.

Brinquedos. Espalhados pelo chão, arrastados, jogados, os brinquedos também são focos de bactérias. E o pior: não temos costume de desinfetá-los. Um estudo feito pela Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, confirmou a presença de bactérias que provocam nos brinquedos que ficam espalhados pela casa.

Sabendo disso vamos mudar alguns hábitos e ficar atentos aos locais “escondidos”, que não damos muita atenção na hora da limpeza. A saúde da nossa família em primeiro lugar!

keyboard_arrow_up