Como prevenir e tratar a osteoporose, doença silenciosa que afeta 10 milhões de brasileiros

  • 2018 out 19

Silenciosa e assintomática, a Osteoporose provoca uma fratura a cada três segundos no Brasil. Estima-se que aproximadamente 10 milhões de pessoas tenham osteoporose no País, segundo a Abrasso – Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo. Idosos, principalmente mulheres na pós-menopausa, são as pessoas que mais sofrem com a doença que diminui a massa óssea e causa fragilização a ponto de causar fraturas por simples movimentos ou até com o peso do próprio corpo. Apesar disso, a maioria dos idosos que possuem osteoporose não sabem, como revelou um estudo realizado pelo Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP, que analisou 330 pacientes internados com fratura de fêmur.

Cerca de  25% das mulheres na fase pós-menopausa, têm osteoporose e 16% dos homens com mais de 70 anos possuem a doença. “Com o envelhecimento, a incidência e a prevalência da osteoporose aumentam consideravelmente”, afirma a médica endocrinologista Dra. Marise Lazaretti Castro, presidente da Abrasso.

Idosos, principalmente mulheres na pós-menopausa, são as pessoas que mais sofrem com a doença

 

A dona de casa Mariza Infantie descobriu que tinha osteoporose após uma fratura. Aos 60 anos ela sofreu uma queda em casa e fraturou o fêmur direito. Passou por duas cirurgias para colocação de prótese e há 10 anos frequenta sessões de fisioterapia. “Até hoje ainda tenho muitas dores. Minha perna nunca mais voltou ao normal”, diz. Desde que descobriu a doença Mariza passou a tomar medicação e mudou alguns hábitos para evitar novas fraturas. “Até hoje não se sabe se eu a queda provocou a fratura, ou se a fratura levou à queda”, avalia.

Dados da International Osteoporosis Foundation (IOF) apontam que a doença é responsável por mais de 9 milhões de fraturas por ano no país, uma a cada três segundos. “O principal objetivo da prevenção e do tratamento da osteoporose é justamente evitar a ocorrência de fraturas. Afinal, quando uma pessoa em idade avançada quebra algum dos ossos a sua recuperação costuma ser bastante difícil e dolorosa. Isso sem contar que, em casos de fratura no quadril, há o risco de que o idoso fique incapacitado e restrito a uma cadeira de rodas”, diz o ortopedista do HCor, Prof. Dr. Gilberto Camanho.

Neste dia 20 de outubro, data em que comemora-se o Dia Mundial da Osteoporose ,  Dr. Gilberto Camanho  orienta como prevenir  a doença. O médico lista algumas mudanças no dia-a-dia que podem ajudar na prevenção. Confira:

 

Prevenção

Pratique atividade Física –Além de evitar a perda de massa óssea causada pela osteoporose, a atividade ajuda a fortalecer e alongar os músculos das costas, reduzindo o problema. “A maior parte dos exercícios indicados em casos de osteoporose são leves e podem ser praticados em casa, depois de serem ensinados por um fisioterapeuta”, acrescenta o ortopedista.

Distribua o peso – Outra dica importante do Dr. Camanho é que os idosos procurem executar os seus afazeres diários da maneira correta. Caso tenham que carregar peso, é preciso distribuí-lo pelo corpo, sem concentrá-los em um único membro ou na coluna, já que, devido a ação da osteoporose, ficam fragilizados e podem sofrer fraturas. “Ao carregar peso, é importante flexionar os joelhos antes de levantar cargas maiores, por exemplo. Porém, quando algo for pesado demais, ou a coluna já tiver um grau mais intenso de fragilidade, a melhor opção é sempre pedir ajuda ou evitar carregar peso. Isso pode prevenir acidentes e novas fraturas”, aconselha o ortopedista.

A atividade física ajuda a fortalecer e alongar os músculos das costas, reduzindo o problema

 

Combata fatores de risco

Para prevenir a osteoporose Dr . Camanho recomenda ficar atento aos fatores de risco para a doença. Entre os mais relevantes estão idade avançada, ocorrência prévia de fratura, tabagismo, alcoolismo, uso de corticoides, artrite reumatoide e vida sedentária. Por isso, o médico aponta algumas medidas que, além de combater todos estes fatores de risco, podem contribuir com um estilo de vida mais saudável:

–   Consuma laticínios, frutas, legumes, folhas verdes e grãos. Eles são ricos em cálcio;
– Procure praticar atividades físicas durante 30 minutos diários no mínimo. A prática de esportes fortalece os ossos;
– Fumantes chegam a perder cerca de 1% de massa óssea por ano. Por isso, evite cigarros;
– Homens costumam carregar mais peso que as mulheres. Por isso, eles precisam evitar exageros e tomar cuidado com quedas, já que todos esses fatores também comprometem a saúde dos ossos;
– Acima dos 50 anos, as mulheres têm mais chances de desenvolver osteoporose em função da queda da produção de estrogênio causada pela menopausa. Por isso, quando se chega nessa idade, é importante realizar uma densitometria óssea;
– Procure tomar sol diariamente por pelo menos 20 minutos. Ao contrário do que se acredita, a melhor parte do dia para sintetizar vitamina D é entre 11 e 12 horas, quando o sol está bastante forte. Contudo, evite excessos, já que a intensidade dos raios solares neste horário pode representar riscos à saúde. Na impossibilidade de tomar sol, suplementos de vitamina D podem e devem ser usados, após avaliação e prescrição de um médico;
– Se alguém da família tiver osteoporose, vale a pena ficar atento. Traços hereditários podem favorecer o aparecimento da doença. Por isso, é importante realizar um exame de densitometria óssea, a partir 45 anos de idade;
– Beba água ou suco natural de frutas. Refrigerantes e bebidas alcoólicas causam perda de massa óssea;
– Manter hábitos saudáveis, desde a infância, também ajuda na prevenção da osteoporose. Isso porque a aquisição de massa óssea aumenta na infância, acelera na adolescência e estabiliza na faixa dos 30 anos de idade.

 

 

Fisioterapia

Assim como aconteceu com Mariza, em casos de fraturas decorrentes da osteoporose em que é necessária cirurgia para correção, o tratamento específico com fisioterapeutas é fundamental para a reabilitação da lesão e manutenção do quadro geral. O fisioterapeuta Kalil Zipperer aconselha que o paciente faça um acompanhamento multidisciplinar, que inclui também médico, nutricionista e educador físico.

“A osteoporose tem cura e deve ser tratada com seriedade, com a ajuda da equipe multidisciplinar e também com a participação do paciente. Esse trabalho é feito a longo prazo, para que haja alguma mudança significativa no exame de densitometria óssea”, diz.

Para que o tratamento seja potencializado, Zipperer aconselha que o paciente mude seus hábitos de vida, como exemplo, o abandono de vícios como o cigarro e a utilização de medicamentos sem prescrição médica. Além disso, recomenda a prática de atividades físicas como caminhada em esteira com controle de impacto, exercícios de fortalecimento e exercícios no ambiente aquático.

 

Final de Semana

Com o slogan “Firme e Forte Contra a Osteoporose”, os especialistas da Abrasso promovem, neste fim de semana,  dias 19, 20 e 21 de outubro, uma série de atividades para celebrar o dia 20 de Outubro – Dia Mundial de Prevenção e Combate à Osteoporose.

Em São Paulo, será montado o osso gigante com atividades lúdicas e interativas, instalado no Parque do Ibirapuera e exposto para visitação ao público, nos dias 19, 20 e 21 de outubro, das 9h às 17h.

No Rio de Janeiro,  será montada a tenda de atendimento com especialistas que ficarão, nos dias 19 e 20, das 9h às 17h no plantão tira-dúvidas, na Praça Serzedelo Correa, em Copacabana.

Nas tendas de atendimento tanto em São Paulo, como no Rio de Janeiro, o público terá acesso ao Teste do Calcâneo (exame que avalia a massa óssea do indivíduo por meio de uma ultrassonometria do calcanhar para identificar a osteoporose) e ao teste de “frax”, desenvolvido através de questionário para estimar a probabilidade de fraturas de acordo com os fatores de risco relatados na pesquisa. “O teste do calcâneo é simples e não invasivo, com duração de apenas 60 segundos, com resultado imediato”, informa Dra. Marise Lazaretti Castro.

 

Da Redação

compartilhe:

Postagens Relacionadas

keyboard_arrow_up