Busca
avançada
  1. Home
  2. O alimento anti-inflamatório é um benefício para o corpo e a mente
O alimento anti-inflamatório é um benefício para o corpo e a mente

O alimento anti-inflamatório é um benefício para o corpo e a mente

  • 14/09/2023
  • 0 Likes
  • 70 Visualizações
  • 0 Comentários

inflamação é uma reação natural do nosso corpo à infecção, lesão e dano tecidual. No entanto, quando se torna crônica ou persistente, pode ser a causa de muitos problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, diabetes ou até distúrbios digestivos. Diante dessa constatação, torna-se fundamental a adoção de um estilo de vida saudável e uma alimentação adequada para reduzir a inflamação e preservar nosso bem-estar. Nesse momento, a dieta anti-inflamatória pode ajudar, por intermédio de uma alimentação com o objetivo de minimizar a inflamação e aumentar as defesas naturais. Assim, você descobrirá os alimentos a privilegiar, aqueles que deve evitar e como integrar facilmente a estratégia alimentar no seu dia a dia para uma vida mais saudável e equilibrada.

A dieta anti-inflamatória é um plano alimentar que se concentra na ingestão de alimentos que ajudam a reduzir a inflamação no corpo. Essa abordagem dietética é baseada em pesquisas que mostram que certos alimentos podem ajudar a combater a inflamação, enquanto outros podem piorá-la. Sua finalidade é proteger o corpo, eliminando elementos nocivos e promovendo a cura.

Incorporar alimentos anti-inflamatórios em sua dieta pode trazer vários benefícios à saúde:

  • Alimentos anti-inflamatórios ajudam a diminuir os marcadores de inflamação no corpo, o que pode diminuir os sintomas associados à inflamação crônica;
  • A dieta anti-inflamatória pode ajudar a prevenir o desenvolvimento de doenças relacionadas à inflamação, como doenças cardíacas, diabetes e certos tipos de câncer;
  • Alimentos anti-inflamatórios podem ajudar a melhorar a saúde mental, reduzindo a inflamação no cérebro, o que pode ajudar a prevenir ou aliviar transtornos mentais, como depressão e ansiedade;
  • Os alimentos ricos em nutrientes e muitas vezes com menos calorias que compõem uma dieta anti-inflamatória podem ajudar a manter um peso saudável e prevenir a obesidade, um fator de risco para muitas doenças inflamatórias.

Não existe um único alimento que seja o mais anti-inflamatório, mas vários alimentos têm propriedades anti-inflamatórias significativas. Alguns dos melhores alimentos anti-inflamatórios incluem:

  • Vegetais folhosos verde-escuros: espinafre, brócolis, couve-flor e couve de Bruxelas;
  • Frutas vermelhas: cerejas, mirtilos, framboesas, amoras e morangos;
  • Peixes: salmão, sardinha, cavala e arenque;
  • Castanhas: amêndoas, nozes e avelãs;
  • Sementes: chia, linhaça, sementes de girassol;
  • Especiarias e ervas: açafrão, gengibre, canela e tomilho;
  • Leguminosas: feijão, lentilha e grão de bico;
  • Frutas cítricas: laranjas, limões, toranjas;
  • Tomate: rico em licopeno, um poderoso antioxidante.

Peixes gordurosos, como salmão, cavala, sardinha e arenque, são ricos em ácidos graxos ômega-3, que possuem importantes propriedades anti-inflamatórias. O ômega-3 ajuda a reduzir a produção de moléculas pró-inflamatórias e promove a resolução da inflamação. Recomenda-se consumir pelo menos duas porções de peixes oleosos por semana para se beneficiar de seus efeitos anti-inflamatórios.

Especiarias e ervas com propriedades anti-inflamatórias

Muitas especiarias e ervas são conhecidas por suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Incluir essas especiarias e ervas em sua dieta pode ajudar a reduzir a inflamação e melhorar sua saúde geral.

  • Açafrão: contém curcumina, um poderoso composto anti-inflamatório;
  • Gengibre: tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes e pode ajudar a reduzir a dor e a inflamação;
  • Canela: tem propriedades anti-inflamatórias e pode ajudar a regular o açúcar no sangue;
  • Tomilho: contém compostos que podem reduzir inflamações e infecções;
  • Orégano: tem propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas;
  • Manjericão: rico em antioxidantes e tem efeitos anti-inflamatórios.

Nozes, avelãs, amêndoas, pistache, sementes (chia, linhaça, girassol, sementes de abóbora) e óleos saudáveis (azeite extra virgem, óleo de colza, óleo de abacate) ​​são ótimas fontes de gorduras insaturadas e antioxidantes, tornando-os benéficos para combater a inflamação. Esses alimentos podem ajudar a reduzir a inflamação e melhorar a saúde do coração.

Fibras e probióticos desempenham um papel fundamental no combate à inflamação. A fibra dietética, encontrada em frutas, vegetais, grãos integrais e legumes, ajuda a regular o açúcar no sangue, a diminuir o colesterol e a manter uma microbiota intestinal saudável. Uma microbiota saudável é essencial para reduzir a inflamação porque estimula a produção de moléculas inflamatórias e anti-inflamatórias no corpo.

Os probióticos, por outro lado, são bactérias benéficas que promovem a saúde intestinal e podem ajudar a reduzir a inflamação. Um bom exemplo de alimento rico em probióticos é o iogurte.

Essa frase dita por Hipócrates em 500 a.C. revela que uma alimentação saudável sempre foi motivo de atenção para os hábitos alimentares, principalmente nos dias atuais, onde o fast-food, o refrigerante e o açúcar são consumidos de forma desenfreada.

Vale lembrar que o estado nutricional e os componentes anti-inflamatórios dos alimentos dependem da disponibilidade de nutrientes no solo, assim, quando os nutrientes não estão presentes em quantidades suficientes, os fertilizantes (ou adubos) irão permitir o fornecimento dos nutrientes essenciais requeridos pelas plantas. Um solo saudável irá formar plantas saudáveis, que por sua vez irão gerar pessoas saudáveis.
 

Por Valter Casarin – coordenador geral e científico da NPV http://NPV – Nutrientes para a Vida

  • Compartilhar:

Deixe seu comentário