Um colírio para os olhos

  • 2017 maio 05

Quem nunca ouviu ou usou a expressão “um colírio para os olhos” ao ver uma pessoa, paisagem ou algo muito bonito? A expressão é muito usada, mas você sabe por quê?

É que quando temos uma irritação ou problema nos olhos, a aplicação do medicamento colírio na maioria das vezes alivia a ardência, a dor, fazendo bem aos olhos. Assim, quando avistamos alguém ou algo bonito dizemos que “faz bem aos nossos olhos”.

Ditados populares à parte, a visão é um dos mais importantes meios de comunicação com o ambiente. Cerca de 80% das informações que recebemos são obtidas através dos olhos, sendo nosso principal contato com o mundo externo.

E por toda esta importância é que os olhos precisam e merecem cuidados constantes. Dia 7 de maio é comemorado o Dia Nacional da Saúde Ocular e do Oftalmologista e resolvemos falar um pouco sobre os colírios, medicamentos prescritos por oftalmologista e que não devem ser usados sem orientação médica.

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia o uso impróprio pode causar problemas oculares mais graves como úlceras, glaucoma, catarata, esclerose da conjuntiva, ressecamento dos olhos, alteração da lágrima e perda acentuada da visão.

Redobre os cuidados no inverno e conheça os tipos de colírio

Durante o inverno, os olhos são os órgãos que mais ficam expostos. E com a mudança climática e o ar seco, as lágrimas podem diminuir e prejudicar a lubrificação dos olhos. Embora os colírios sejam uma boa opção de tratamento para manter a umidade da superfície, é necessário cuidar com o uso excessivo e indiscriminado do medicamento.

Como o colírio pode ser encontrado facilmente em farmácias, e na maioria das vezes vendido sem prescrição médica, oftalmologistas alertam que como qualquer outro remédio, o colírio deve ser utilizado de acordo com cada necessidade, respeitando a dosagem e número de aplicações.

Existem diversos tipos de colírio e variam de acordo com sua finalidade. São eles:
Colírios antibióticos – para o tratamento de infecções bacterianas e fúngicas;
Colírios com medicações retrovirais – para infecções virais;

Colírios antiglaucomatosos – para tratamento do glaucoma;
Colírios antiinflamatórios – para os casos de problemas não infecciosos e inflamatórios, reacionais e traumáticos.

Cuidados também devem ser tomados na aplicação do medicamento. Lave as mãos antes e depois de aplicar qualquer medicamento nos olhos. Se você usa lentes de contato, retire-as antes de aplicar o produto e recoloque-as dez minutos depois da aplicação.

Pingue somente uma gota de colírio de cada vez. Não encoste o aplicador nos olhos para evitar contaminação. Não divida seu frasco de colírio com outra pessoa, cada um deve ser de uso individual.

Consulte sempre um especialista. Procure um oftalmologista!

compartilhe:

Postagens Relacionadas

keyboard_arrow_up