PÂNICO – O medo de ter medo

  • 2018 dez 06

Ele chega silencioso, se instala, toma conta privando o indivíduo de viver, conviver e desfrutar o novo.

A sensação é a de não ter controle do seu corpo, o medo é real e traz muito sofrimento.

O pânico atinge à todos, em níveis diferentes, numa sociedade que, de um lado exige: seja arrojado, se arrisque, encare a competição, seja magro, bonito, bem sucedido, tenha saúde, prazer e, por outro, te joga a própria sorte mandando: proteja-s, há perigos na esquina, seja precavido para a velhice, não consuma “alimentos perigosos”.

Como não enlouquecer no meio desse conflito? O consumidor desejado é o ansioso, nunca satisfeito, é também o doente insatisfeito a ser tratado.

O medo deixa de ser coletivo, temor a Deus, agora, individualizado eclode no corpo do sujeito: taquicardia, suor, tremor, sensação que vai morrer…

Procure ajuda, a carga é pesada demais, algumas delas podem ser descartadas.

Coragem não é ausência de medo, é saber lidar com ele.

 

 

Léa Machado é Psicanalista.  Especialista em  Autoconhecimento, Depressão, Transtornos Alimentares, Dificuldades nos relacionamentos, Ansiedade, Baixa Auto Estima.

 

 

 

 

compartilhe:

Postagens Relacionadas

keyboard_arrow_up