Dia Mundial do Câncer

  • 2018 jul 30

O Dia Mundial do Câncer, celebrado em 4 de fevereiro, é uma data criada pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), em 2005, para conscientizar a população mundial sobre a doença e incentivar as pessoas a falarem mais sobre o assunto no dia a dia.
Neste ano, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) escolheu como tema o estigma social do câncer. A campanha tem o objetivo de desmistificar marcas negativas associadas à doença, como emoções tristes ou até a morte, por meio do compartilhamento de experiências de pessoas que tiveram a doença e o foco no acolhimento e apoio da família.

Todo esse movimento segue ainda a campanha criada em 2016 pela UICC que tem como slogan: “Nós podemos. Eu posso”. O objetivo é mostrar como todas as pessoas do mundo – em grupo ou individualmente – podem agir de diferentes maneiras para reduzir o impacto do câncer no planeta.

Se você tem um amigo ou parente passando por essa situação, ai vão boas dicas para agir de maneira mais humana e amorosa. Doses de amor e apoio são fundamentais para manter o otimismo, a saúde emocional e a vontade de controlar o câncer:

Informe-se sobre o tipo de câncer que está sendo tratado. Conhecer mais sobre a doença ajuda a compreender melhor o que o outro está passando.
Fique por perto e tente ser útil. Por exemplo, ajude com as tarefas domésticas, se ofereça para ir ao mercado ou para fazer companhia durante a quimioterapia. Se a pessoa em tratamento não quiser falar, não a force!
Agende suas visitas com antecedência para facilitar a rotina dos pacientes.
Fale sobre outras coisas: do cotidiano, de um novo filme, do livro que está lendo… O paciente já passa tempo demais vivendo a doença.
Diga coisas positivas sobre a pessoa, sem menosprezar a doença. Diga que se orgulha dela, mostre-se presente e otimista.
Use frases como: “Você é forte!” “Dá pra ver que você está melhorando!”
NUNCA use a frase “Nem parece que você tem câncer”.
Coloque-se à disposição, se realmente puder ajudar e contribuir. Altos e baixos emocionais são comuns, mas se a sua presença for constante fará muita diferença.
Lembre-se de que o câncer não pega. Você pode tocar e abraçar as pessoas.
Se vir um desconhecido sem cabelo e usando máscara, pode se aproximar. Ele estará com as suas defesas baixas, mas não oferecerá perigo a você.

Conheça alguns números da doença no Brasil:

Para o biênio 2018-2019, o INCA analisou os 19 tipos de câncer mais incidentes na população brasileira. Na população masculina, os tipos mais incidentes nesse período serão: pele não melanoma, próstata, pulmão, intestino grosso, estômago e cavidade oral. Os cânceres que atingirão mais as mulheres, por sua vez, serão: pele não melanoma, mama, intestino, colo do útero, pulmão e glândula tireoide.

A distribuição por região geográfica mostra que as regiões Sul e Sudeste concentram 70% da ocorrência de casos novos. Nas regiões Sul e Sudeste, predominam os cânceres de próstata e de mama, bem como os cânceres de pulmão e de intestino. A Região Centro-Oeste, apesar de semelhante, incorpora em seu perfil os cânceres do colo do útero e de estômago entre os mais incidentes.

Nas Regiões Norte e Nordeste, apesar de também apresentarem os cânceres de próstata e mama entre os principais, a incidência dos cânceres do colo do útero e estômago tem impacto importante. A Região Norte é a única do país onde as taxas dos cânceres de mama e do colo do útero se equivalem entre as mulheres.

 

Fonte: http://www.inca.gov.br/dia-mundial-do-cancer/

Instituto Nacional de Câncer

compartilhe:

Postagens Relacionadas

keyboard_arrow_up