Tomar a vacina é a melhor forma de se proteger contra a gripe

  • 2018 jul 03

Começou essa semana em todo o Brasil a Campanha de Vacinação contra a Gripe. Até o dia 1º de Junho, mais de 54 milhões de pessoas que fazem parte do grupo prioritário da vacina devem procurar os postos do Sistema Único de Saúde (SUS) para se vacinar gratuitamente.

Integram o grupo prioritário da campanha pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto).

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar. Este público deve apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

O Dia D da mobilização nacional será no sábado, 12 de maio.

 

O que é a gripe?

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, ocasionada pelo vírus influenza, com elevado potencial de transmissão. Inicia-se com febre, dor muscular, e tosse seca. Em geral, tem evolução por período limitado, de um a quatro dias, mas pode se apresentar forma grave.

A gripe propaga-se facilmente e é responsável por elevadas taxas de hospitalização. Idosos, crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, ou imunodeficiência são mais vulneráveis aos vírus.

Um indivíduo pode contrair a gripe várias vezes ao longo da vida.

 

Tipos de Vírus

Segundo o Ministério da Saúde. Existem três tipos de vírus influenza que circulam no Brasil: A, B e C.

O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública, não estando relacionado com epidemias.

O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias (A/H1N1pdm09 e A/H3N2).

A vacina contra gripe ofertada no Sistema Único de Saúde (SUS) protege contra estes tipos de três vírus.

 

Sintomas

Clinicamente, a doença inicia-se com febre, em geral acima de 38°C, seguida de dor muscular e de garganta, prostração, cefaleia e tosse seca. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de 3 dias. Os sintomas sistêmicos são muito intensos nos primeiros dias da doença.

Com a sua progressão, os sintomas respiratórios tornam-se mais evidentes e mantêm-se em geral por 3 a 4 dias, após o desaparecimento da febre.

Adulto – O quadro clínico em adultos sadios pode variar de intensidade

Criança – A temperatura pode atingir níveis mais altos, sendo comum o achado de aumento dos linfonodos cervicais e também podem fazer parte os quadros de bronquite ou bronquiolite, além de sintomas gastrointestinais

Idoso – quase sempre se apresentam febris, às vezes, sem outros sintomas, mas em geral, a temperatura não atinge níveis tão altos.

Os demais sinais e sintomas são habitualmente de aparecimento súbito, como: calafrios,  mal-estar, cefaleia, mialgia, dor de garganta, dor nas juntas, prostração, secreção nasal excessiva, tosse seca. Podem ainda estar presentes: diarreia, vômito, fadiga, rouquidão, olhos avermelhados e lacrimejantes.

 

A Vacina

A vacina contra gripe é segura e é a intervenção mais importante para evitar casos graves e mortes pela doença, segundo o Ministério da Saúde. A vacina trivalente protege contra três cepas do vírus influenza.

Para 2018, a Organização Mundial da Saúde definiu a composição da vacina com duas cepas de influenza A (H1N1 e H3N2) e uma linhagem de influenza B.

Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno, que começa em junho. O período de maior circulação da gripe vai do final de maio até agosto.

A vacina contra gripe não está na rotina do Calendário Nacional de Saúde. Trata-se de uma vacina de campanha, ou seja, ocorre somente em um período específico. Por isso, todos os anos, o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, promove a Campanha Nacional de Vacinação. Neste período, é ofertada gratuitamente, em 65 mil salas de vacinação em todo o país, a vacina para grupos prioritários, formados por públicos mais suscetíveis a desenvolver a forma grave da doença.

Importante lembrar que crianças menores de seis meses e pessoas com alergia severa a ovo são contraindicadas para se vacinarem contra a influenza.

 

Em Vinhedo

Conforme definição do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde, a vacinação tem um público-alvo específico e, seguindo orientação do Estado, que leva em conta a entrega parcelada da vacina Influenza, seguirá a seguinte programação: a partir do dia 23 de abril para profissionais de saúde, indígenas e as pessoas com 60 anos ou mais; a partir do dia 2 de maio para crianças entre 6 meses e menores de 5 anos de idade, gestantes e puérperas; e a partir do dia 9 de maio para pessoas com comorbidades (doenças crônicas), professores e os privados de liberdade.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, disponibilizará a imunização em todas as salas de vacina (Vila Planalto, Três Irmãos, Vila João XXIII, Casa Verde, Von Zuben) das 9h às 16h. No Centro Médico do Jardim São Matheus e Policlínica da Capela, o horário de atendimento será das 9h às 19h.

No dia D, 12 de maio, serão dois postos fixos funcionando das 8h às 17h: Policlínica da Capela e UBS Planalto. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é vacinar 90% do público alvo.

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Vinhedo realiza o agendamento para idosos acamados da cidade para receberem, em casa, a dose da vacina contra a gripe.

Os responsáveis pelos idosos acamados, maiores de 60 anos ou pessoas que apresentam dificuldade de locomoção que fazem parte do grupo prioritário, devem comparecer pessoalmente à Unidade Básica de Saúde mais próxima para informar os dados pessoais, telefone e endereço da pessoa que receberá a imunização em casa.

A vacina será aplicada nos acamados no dia 12 de maio, das 8h às 17h. Para este dia, a Secretaria de Saúde organizou um esquema especial de vacinação, onde enfermeiros da Prefeitura também visitarão as instituições de longa permanência para vacinarem idosos.

 

Em Campinas

Os 64 centros de saúde da cidade aplicarão a vacina e não haverá separação de grupos prioritários. As doses ficam disponíveis ao público de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, e das 13h às 17h. Além disso, em algumas unidades haverá atendimento aos sábados, das 7h às 12h.

 

Valinhos

As 13 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Valinhos irão oferecer a vacina, das 9h às 16h, sem fazer distinção dos grupos de risco.

compartilhe:

Postagens Relacionadas

keyboard_arrow_up